19 de maio de 2011

Missa com crianças

(Reflexões baseadas no Diretório das Missas com Crianças)

Muitas comunidades celebram a chamada “Missa com crianças”. Umas, fazem-no no contexto da Missa Paroquial; outras fazem-no só e especificamente no âmbito da Catequese, para as crianças, catequistas e seus familiares. Qual a melhor solução? Terá sentido celebrar só com crianças? Num caso e/ou noutro, quais são os critérios a ter em conta para este tipo de celebrações?

É fundamental ter bem claras as idéias, quando se fala de “Missas com crianças”. E eventualmente corrigir princípios errados, que nos afastam do mais importante, que é permitir às crianças uma verdadeira iniciação à vivência da Eucaristia.

Adaptar a celebração às crianças não é nunca infantilizar a celebração. A Eucaristia não é nunca uma “brincadeira de crianças”; pelo que, mesmo para as crianças, deve ser momento de encontro com Deus e de encontro festivo com os outros para louvar e agradecer... Tem é que ter em conta os níveis de fé das crianças e as suas capacidades cognitivas.

Além disso, falamos de “Missa com crianças” e não de “Missa para crianças” ou “Missa de crianças”.

Em resumo, são possíveis algumas adaptações:

- a redução do número de leituras: podem suprimir-se uma ou duas leituras, mas nunca o
Evangelho (e nunca suprimir as duas primeiras por hábito ou sistema);
- a substituição das leituras do “dia” respectivo por outras que pareçam mais convenientes num momento determinado;
- a recusa da tentação de adaptar sempre leituras breves (um texto breve nem sempre é o mais inteligível). O princípio seria: “todo depende do proveito espiritual que a leitura possa proporcionar-lhes (DMC 44);
- a recusa da tentação de paralela e simultaneamente ir explicando o texto bíblico (há o perigo da confusão entre o que diz a Palavra e o que dizemos nós; para superar esta dificuldade usem-se traduções pedagogicamente preparadas e adaptadas). (DMC 45).

No canto entre as leituras, permitem-se também algumas adaptações:
- no caso do salmo, escolha-se salmo e melodia simples, mas que seja de verdade um salmo e não um canto qualquer; que se cante pelo menos o refrão e que seja ressonância do tema central da primeira leitura escolhida; no caso de ser deveras impossível encontrar nenhum salmo ou refrão, pode cantar-se outro canto a modo de salmo, mas com intenção (melódica e textual) de aprofundar o tema da leitura anterior;
- sugere-se o canto do “Aleluia com versículo” (embora nos pareça legítimo suprimir o versículo já que o Aleluia é canto de aclamação e não de meditação);
- sugere-se que, uma vez por outra, depois da primeira leitura se siga um momento de silêncio sem mais;
- sugere-se ainda que se prepare um canto adequado para depois da homilia (DMC 46).

A Palavra de Deus não atua sempre automaticamente. É preciso “ajudar” a Palavra (como se pode inferir da parábola do semeador). O Missal oferece alguns recursos (pedagógicos) para a Missa com crianças:
- a monição antes da proclamação da leitura (a modo de apresentação e ambientação);
- a leitura “dialogada”.

Outras ajudas pedagógicas podem ser:
- o cuidar do lugar da proclamação (o ambão e o livro);
- a procissão para o Evangelho;
- uma boa proclamação: preparada, serena, expressiva;
- uma encenação: sóbria, que não necessite demasiada preparação nem aparato;
- a meditação (e/ou homilia) com imagens que ajudem à compreensão da leitura; (DMC 47).

A Homilia não deve faltar nunca na Missa com crianças. Duas notas apenas: a homilia, na Missa com crianças, pode ser feita por um leigo (devidamente preparado e autorizado pelo presidente da celebração); pode ser dialogada. (DMC 48).

As idéias básicas do Diretório são estas:
1. Vê a Eucaristia e a educação para ela, dentro do conjunto da vida cristã e não isoladamente;
2. Para este objetivo há uma dupla tarefa; aproximar a eucaristia das crianças e aproximar as crianças da Eucaristia
3. A educação eucarística é concebida como iniciação, não como aula, catequese ou entretenimento;
4. A iniciação eucarística supõe a introdução nas grandes atitudes, que formam o conteúdo da eucaristia: - reunir-se, escutar, dar graças, recordar e oferecer, comer e beber o corpo e o sangue de Cristo, despedir-se como «expedir-se em missão».
5. A meta da educação eucarística é a Missa da comunidade.
6. A Eucaristia deve conduzir a uma maior integração na vida da comunidade
7. Há uma preocupação pela adaptação psicológica, que deverá ser progressiva, quer no ambiente (mais amável, acolhedor, próximo, festivo), quer no Presidente, quer na linguagem, das orações, quer na valorização do audiovisual;
8. A atividade exterior não deve esquecer que o principal é a participação interior;
9. O presidente celebra com as crianças e não para elas.

0 comente aqui: